Meu propósito e o meu fardo

03/Fev/2021

Meu propósito e o meu fardo

O propósito da vida é encontrar o maior fardo que você pode carregar e carregá-lo.”

Por mais que eu queira eu preciso reconhecer que essa frase não é minha, é uma frase do Jordan Peterson.

Peterson escreveu o livro 12 Regras para a Vida após ter feito uma quantidade enorme de vídeos com aulas e debates na Internet e se tornou um guru da busca de propósito e da responsabilidade. Várias vidas foram transformadas com os seus conteúdos, habilitando uma grande quantidade de pessoas tomarem prumo em suas vidas apenas com o consumo da sabedoria que ele entrega.

Entretanto, essa frase do propósito da vida me chamou muita atenção. Por que será que ele diz que o importante é encontrar o maior fardo possível e o carregar?

Acredito que nossa sociedade fabricou um certo preconceito com o trabalho duro, como se isso fosse uma coisa ruim e que precisaria ser evitada. Que o mundo pode nos dar tudo de mão beijada e que só precisamos pegar cargas apenas para obter renda financeira.

Como se assumir responsabilidades fosse apenas um trabalho imposto por um terceiro. Como se viver despreocupado fosse o nosso modo de vida saudável.

Como será que isso caiu no nosso imaginário coletivo?

Temos agora dedicado a maior parte de nosso período acordado consumindo conteúdos de entretenimento no nosso celular e na nossa televisão. Recebemos uma grande quantidade de estímulos que nos nocauteiam, mas que logo percebemos que não nos traz sentido real. Nada sobra daquela atividade, não deixamos nenhum legado.

O chamado de assumir o maior fardo, então, parece ser exatamente o que precisamos ouvir. Precisamos criar o valor de que fardos são parte da vida, e que nos dão significado. Não fazemos isso por dinheiro, apesar de que muitas vezes o dinheiro pode fazer parte.

Então a lógica é começar a assumir fardos... Show, vou começar a lavar os pratos e arrumar a cama. As pessoas começam a perceber valor naquilo que você faz de bom grado e percebe valor na sua presença, você está transformando a vida das pessoas a sua volta.

Uma sensação de estar sendo explorado pode então surgir... Por que será que eu faço todo esse trabalho e as outras pessoas não fazem igual? Isso é tão injusto.

Preciso cobrar isso das pessoas a minha volta, todos precisam assumir sua parte da responsabilidade do todo. O fardo precisa ser dividido!

A generosidade então acaba. Tudo é medido e o fardo perde o significado e o propósito. Passa a ser uma tarefa remunerada por culpa e cobrada por todos.

Essa dinâmica é autodestrutiva... Porque os fardos precisam ser medidos e divididos? O fardo que carregamos não pode ser uma imposição dos outros.

E aí chega o maior insight da frase do Peterson: encontre você o maior fardo que você pode carregar. É você que precisa encontrar, e o fardo tem que ser do seu tamanho.

Passei grande parte da minha vida pensando que já estava fazendo o suficiente, que estava já cansado no fim do expediente e que merecia ter o resto do dia vazio de sentido na frente de uma televisão ou lendo um livro interessante.

Observava algumas pessoas realmente sobrecarregadas, com todas as horas do dia cobertas com atividades as mais desconexas possíveis. Eu olhava essas pessoas e perguntava: qual o sentido de ficar sempre devendo? Qual a razão de tentar colocar mais nas costas do que fica simples carregar?

Depois de muitos anos de vida estou começando a entender a lógica. Não é que precisamos ser parcimoniosos nas nossas escolhas, é que a gente precisa ser ambicioso e se esforçar para levar o máximo daquilo que parece fazer sentido para o mundo.

Hoje em dia tenho sido bem mais consciente sobre isso. Pessoas chegam para mim pedindo ajuda, reuniões, conversas e até participações em projetos e a minha primeira reação é defensiva: por que assumir mais alguma coisa e me incomodar.

Entretanto logo chega o raciocínio do insight me empurrando: será que isso não pode ser mais uma fronteira interessante para desbravar e transformar o mundo pelo menos na parte que me cabe?

Quero então todos os desafios... Tudo o que consigo ajudar e impactar parece fazer sentido.

E se eu não conseguir carregar?

Não tem sido um problema... Muitas vezes fico cansado no fim do dia, mas ainda não consegui dizer que peguei um fardo que não tive condições de carregar.

  • Fábio Ferrari Fábio Ferrari